Thursday, October 30, 2014

BookCrossing Blogueiro - 9ª edição

http://luzdeluma.blogspot.it/search/label/Bookcrossing

A querida Luma convida para mais uma edição do BookCrossing Blogueiro.

A mensagem é simples: basta ter um livro que você já leu e queira libertar. Escreva um aviso informando que o livro não está perdido e deixe-o em um local público e protegido, convidando o novo leitor a fazer o mesmo. Tem tempo, a 9ª edição acontece de 8 a 16 de novembro. Escolha ao menos um livro e participe.

Complicou? Dê uma olhada AQUI, onde a Luma explica com mais detalhes.

Nessa 9ª edição vou bater meu recorde. São 101 livros que libertarei, incluindo uma coleção completa de fábulas que doarei à Biblioteca Giana Anguissola, um espaço totalmente dedicado ao público infanto-juvenil da cidade. E você?

 .

Saturday, October 18, 2014

Para Luiza



  

     Minha querida filha Luiza,

     Você bem sabe que sou eu a gostar de escrever, mas tenho certeza de que a sua mãe e a sua irmã pensam da mesma forma e gostariam de também ter escrito as coisas que você vai ler agora.

     Antes de mais nada, saiba que o amor que nos une não tem limite e é eterno. Você sempre será a nossa Luiza, Batata, Luli, Lu, Lulu, Monstrinho e Bijou. A nossa casa será sempre NOSSA (minha, da sua mãe, da Bia e sua. Sempre!). Volte sem avisar, volte e fique quanto tempo quiser ou precisar, mas – principalmente – volte quando nem precisar voltar. Tenha as chaves sempre à mão.

     Estamos tristes e felizes com a sua ida para Londres. Vai ser muito difícil não poder abraçar e beijar você todos os dias. Por outro lado, estamos entusiasmados com a sua decisão; você está fazendo o que escolheu fazer e temos certeza de que vai ter muito sucesso nos seus planos. Nós torcemos e rezamos por você. Todos os seus sonhos irão se realizar, mantenha os pés nos chão e não perca o foco dos seus objetivos. Às vezes você vai precisar se adaptar, saber esperar, descobrir ou criar oportunidades. Seja flexível, vá em frente. Nós lhe apoiaremos sempre.

     Você é uma pessoa axuberante. Quem lhe conhecer vai descobrir que a sua personalidade também é exuberante. Trate bem as pessoas, com respeito, cordialidade e um sorriso no rosto. Trate melhor as pessoas mais humildes, que não tiverem nada a lhe dar em troca. Seja humilde e simples. Lembre-se de que a amizade leva tempo a ser cultivada: confie no seu instinto quando conhecer alguém, não permita que se aproveitem de você. Respeite os sentimentos dos outros, respeite os seus próprios sentimentos. Não cultive rancores. Se houver momentos de tristeza ou se alguém fizer você sofrer, chore e desabafe. Depois, enxugue os olhos, encontre um motivo para sorrir e vá em frente. Não se vingue: não poder compartilhar a sua amizade já é um castigo suficientemente grande.

     Trate cada pessoa como ela merce ser tratada. Pessoas diferentes devem ser tratadas de modos diferentes. Avalie bem cada situação de estresse e procure se colocar no lugar do outro, antes de tomar uma decisão. Não aceite provocações – não se deixe cair nelas! – mas se precisar ser ríspida, faça de modo a deixar claro a sua posição de uma vez por todas. A diplomacia consiste em deixar uma saída honrosa à outra pessoa; use-a. Crie e cultive uma rede de contatos.

     Comunique-se bem. Os outros não sabem o que você está pensando. Fale de modo claro e cortês, não deixe um problema crescer: corte o mal pela raiz. Se não entender, pergunte sem medo. Quando for aprender algo novo, escreva. Escrever ajuda no processo de aprendizado e gera uma fonte onde tirar dúvidas.

     Não fume, beba com moderação e fique longe das drogas. Quem lhe oferece droga não é seu amigo! (ou é ingênuo e ignorante demais para ser seu amigo. Mantenha distância de quem se droga.) Evite festinhas em que possam oferecer drogas ou misturá-las nos coquetéis. Em bares ou locais públicos, tenha sempre à mão o seu copo e prefira latas ou garrafas que você mesma possa abrir. Não aceite bebidas de estranhos.

     Alimente-se bem todos os dias. Produto industrializado não é alimento. Legumes congelados permitem uma refeição sadia e rápida a qualquer hora. Fruta fresca e salada devem fazer parte da sua rotina. Esteja atenta às comunicações do seu organismo: dor de cabeça normalmente provém de má alimentação; cansaço, mal humor e fadiga informam carência alimentar ou noite mal dormida. Preste muita atenção ao seu bem estar. Cuide de você por nós.

     “Não existe almoço grátis.” Desconfie do excesso de atenção ou de generosidade. Recusar educadamente um convite, um presente ou uma proposta que lhe pareçam inadequados, vai manter você longe de problemas.

     Seja você mesma. Não crie personagens nem tente parecer o que não é. Você já é suficientemente inteligente, divertida, agradável, bonita e companheira para que qualquer pessoa queira estar ao seu lado. Seja simples. Dedique as suas energias somente a quem aprecia a sua companhia, mas não trate ninguém com desprezo.

     Guarde uma parte do seu salário. Não gaste tudo o que ganhar, tenha sempre uma reserva. Pague suas contas e não faça dívidas, prefira comprar à vista e pedir desconto. Aprenda a se organizar. Roupa suja vai pro cesto; roupa usada pode ser guardada no armário e estar pronta para a próxima vez. Se não bagunçar; não vai precisar arrumar; cada coisa deve ter um lugar, desse modo você encontra tudo pois sabe onde está. Mantenha limpo e organizado a sua casa, o seu local de trabalho e qualquer lugar que você frequentar. Deixe uma imagem positiva de você.

     Lembre-se: você tem uma família e nunca vai estar sozinha. Mesmo que esteja longe. Nós somos as pessoas mais indicadas para pedir conselhos e ajuda, se precisar. Nós te amamos. E acima de tudo, viva com alegria fazendo o que lhe der prazer. A vida é muito curta para arrependimentos.

     Com muito, muito amor,

                                   Papi.
                                   Piacenza, Itália – outono de 2014
.

Saturday, October 11, 2014

...Fim das férias?



▬ Êita bloguinho preguiçoso!

▬ Pois é, de férias desde agosto... E já é outubro!

▬ Será que ele desistiu de atualizar o blog?

▬ Quem sabe? Vai ver, estava ocupado com a vida off line.

▬ E existe?

▬ Se existe, deve ser muito chata. Já pensou viver sem face?

▬ ...Sem Istagram, Twitter, Google...

▬ Esquecido como diz ser, deve ter esquecido do blog.

▬ Ou de voltar das férias.

▬ Falar em férias, viu o verão maluco da Itália?

▬ Pois é! O Norte só teve dois ou três dias de verão, um hiato entre a primavera e o outono.

▬ É Isso!, acho que ele tava ocupado com questões ambientais.

▬ Será que volta a escrever no blog?

▬ Espero que sim. Aproveito sempre as receitinhas que aparecem de vez em quando.

▬ Faz tempo que não tem uma, né?

▬ Faz tempo que ele anda desanimado. Difícil ler um post como nos velhos tempos.

▬ Vamos deixar esse recadinho aqui. Quem sabe ele se anima?

▬ Ou, pelo menos, dá uma satisfação aos leitores. Põe um ponto final e explica o sumiço.

▬ Ei! ...Tem alguém aí?
.

Wednesday, August 06, 2014

Blog de férias

É Agosto.

O blog está de férias. Divirtam-se

:)

Sunday, July 20, 2014

Manhã de domingo na Itália


Olho o céu de brigadeiro e exclamo:
Não!!!, um outro dia de calor infernal!
[se te mandarem ao inferno, venha visitar a Planície Padana no verão]

*

"O teu cérebro é feito de gordura."
...Hein? Mas não era a minha barriga?

*

Muitos povos não consomem laticínios. Leite é alimento de bebê. Laticínios me dão dor de cabeça. Então, escolho quando vale a pena ter dor de cabeça e tenho só um pouquinho por dia (meio quilo de Parmiggiano pra acompanhar a cerveja, a mão lambuzada de Gorgonzola, um pote gigante de sorvete...) e evito quando posso.

*

Café da manhã, nada de manteiga ou queijo: pão com azeite extra virgem de oliva italiano.
E não é que é bom?
.

Saturday, July 12, 2014

Tag - responda se quiser

A Georgia, do blog Saia Justa, me convidou para um meme. Fazia tempos que não via uma corrente nos blogs (coisas da pré-história blogosférica) e já tinha decidido não mais participar.

Acontece que sinto falta da interatividade que existia antes dos facebooks da Net. Resolvi responder.


O mundo seria muito mais feliz se ... 
Todo mundo praticasse meia hora de meditação por dia (pelo menos teríamos trinta minutos de sossego)

Uma amizade é realmente importante quando ... 
O amigo é rico

Paciência e tolerância são para mim ... 
Objetivos nem sempre alcançados

Algo que me irrita profundamente é ... 
Cerveja quente

Acho que as pessoas mais humildes ... 
Deveriam aprender a dançar e a sorrir mais

Quando o dia amanhece nublado eu ... 
Já sabia: tenho insônia e acordo de madrugada

Uma qualidade indispensável nas pessoas é ...
Ter dinheiro. Quem tem dinheiro é tolerado por todo mundo e tem um monte de admiradores 



Eu deveria passar para outras seis pessoas, mas pouca gente vem ler o que escrevo. Se você caiu neste blog por engano e quer participar, fique à vontade e deixe um comentário. Depois eu passo por lá para conferir.
.

Sunday, July 06, 2014

A fauna de verão



E quem é que tem coragem de confessar as próprias descobertas infantis? Sim, porque achei infantilidade minha ficar surpreso com a existência de pernilongos na Itália, anos atrás. O que eu esperava? Que no primeiro mundo fosse tudo possível e perfeito? [cá entre nós, precisamos urgentemente rever o conceito de “primeiro mundo”].  Frio, calor, temporais, secas e – por que não? – pernilongos: tudo igualzinho. E é assim que tem que ser.

▬ ...Quem é esse tal de Lunedil?

Noutro dia li que “as mudanças climáticas já estão tendo impacto sobre a economia americana.” Como assim, “já”? Só descobriram agora? Quando o ciclo natural do planeta é alterado, todas as atividades são afetadas (sim, eu sei que o ritmo natural do planeta é de mutação constante, mas a ação humana tem acelerado o processo). Perguntem aos pernilongos como a vida deles mudou nos últimos anos. Chegam sempre adiantados ou atrasados. Para garantir a sobrevivência da espécie, estão modificando o ritmo de procriação [teoria minha, nada de científico, mas merece ser estudado].

▬ Róbsu! Ô Róbsu!, quem é esse tal de Lunedil aí, Róbsu?

▬ Lunedì, ele se chama Lunedì.

▬ E quem é esse cara?

▬ Amigo meu, ‘cê num conhece não. Ele só vem quando ‘cê num tá’qui.

O certo é que os pernilongos perturbam um bocado e eu ainda não descobri a utilidade deles. Se servem para alimentar andorinhas e outros pássaros, eu toparia dar comida às aves em troca da extinção deles, os pernilongos. Melhor não, quem garante que a boa vontade se perpetuaria?

▬ E por que ele só vem nos dias que eu um tô?

▬ Sabe que ele perguntou a mesma coisa de você? E, depois, quê isso? Tá cum ciúmes ou quer conhecer o cara?

▬ Ih, cara, sai pra lá! ...Eu, com ciúmes? Sai pra lá, lubisomem!

▬ Então eu apresento ele pra você.

▬ Eu não. Vê lá se eu quero conhecer alguém que chama Lunedil!

▬ Lunedì, ele se chama Lunedì.

▬ O acento no nome dele tá errado. Num existe crase no i.

As gerações futuras teriam dificuldade para entender porque escolhemos alimentar os pássaros em troca da extinção dos pernilongos. As aves seriam extintas e, aí sim, o mundo ficaria uma merda. Melhor deixar os pernilongos.

▬ No caso dele, tá certo assim. Lunedì é italiano.

▬ ...Piorou.

▬ ‘Cê num gosta de italiano?

▬ Quem gosta de massa é pedreiro, eu sou gente fina.

▬ Que mais que ‘cê num gosta?

▬ Galinha.

▬ ‘Magina!, nós comemos frango ontem.

▬ Frango tem carne macia, eu não gosto é de galinha. Galinha, pra mim, só de batom e salto alto.

▬ Tá ficando muito enjoado.

Quando estive em Angola descobri que reclamava de barriga cheia: lá sim que tem pernilongos. Na volta, aprendi a fazer um repelente caseiro que funciona de verdade: coloque uns 30 gr de cravo da Índia em 100 ml de álcool e deixe em local escuro por uns quatro dias; coe e dilua em 500 ml de óleo de amêndoas (ou outro óleo para o corpo); passe quando for encontrar com pernilongos. Eles vão detestar e evitar chegar perto.

▬ Prest’enção, cara! ‘Cê pegou um peixe!

▬ Oba!, hoje vamos comer peixe na brasa.

▬ A brasa tá acesinha, só esperando ele.
                                                                                               
▬ ‘Bora pra casa comer esse peixe , Sexta-feira?

▬ Nós já estamos em casa, Róbsu. Nossa casa é uma ilha.
.